terça-feira, 15 de novembro de 2011

Guia Rio De Janeiro para Turistas

"De frente pro mar/mas de costas pra favela/[...]/É bom ficar com um olho no padre/E outro na missa" - Marcelo D2 e BNegão.

RIO DE JANEIRO: uma cidade sempre cercada de muita propaganda. E propaganda - cês sabem como é foda - faz nego acreditar em qualquer merda. Tem gente que ama, chama de CIDADE MARAVILHOSA bota na parede e chama de lagartixa e talz. Tem gente que odeia, chama de favelão e o escambau mas não resiste a um podrão, compra CD pirata e rebola funk. No meio desse debate bipolar, minha missão aqui é desmitificar pra vocês esse lindo balneário no qual tive a sorte - ou o azar, isso vive mudando - de nascer.

I) CLIMA
Essa cidade só tem duas estações: verão (que dura o ano inteiro, com temperaturas acima de 30º) e o inverno (que só trabalha quando o verão tira feriado e tem temperaturas abaixo de 30º). Existem lendas sobre temperaturas abaixo de 20º, mas isso é provavelmente mentira, já que carioca nenhum sobrevive num frio desses.
As excessões são Bangu e o SAARA (ambos de clima saárico) e o Alto da Boa Vista, que vive frio e úmido.
NOTA:

II) CUSTO DE VIDA
Apenas recomendo não alugar apartamentos, comer onde tenha fila nem comparar com outra cidade, sob risco de suicídio. E ficar de olho nos taxímetros, só pra garantir.
NOTA:

III) MULHERES
Há mulheres de todas as cores, todas as idades e opções não faltam. Mas só porque Garota de Ipanema é a música mais tocada no mundo,
i) as lindas se fazem de difícieis
ii) as feias acham que são lindas.
NOTA:

IV) GASTRONOMIA
Se você for rico e estiver procurando alta gastronomia, consegue se virar bem. Se você estiver procurando restaurantes descolados, vai encontrar um monte e vai pagar mais ainda. Se você for pobre (e pedreiro) como eu, come-se dignamente por R$6,00 (em média) PFs maravilhosos em qualquer boteco da cidade. O lanche de rua (vulgo PODRÃO) só pode ser degustado por quem tem estômago de titânio. Existe também a tradição do "PASSATEMPO DA SUA VIAGEM", bala/chiclete/amendoimsemcasca/paçoca/jujuba/biscoito, que nas lojas do gênero custam cinquenta reais mas você pode comprar por APENAS UM REAL em qualquer ônibus da cidade.
NOTA:

V) TURISMO
Como o Rio é uma cidade muito hypada, os pontos turísticos são caros pra dedéu e só servem pra turista ver mesmo. Se o seu lance não é se sentir numa novela do Manoel Carlos, é melhor mesmo é ficar em hostel em Santa Tereza, curtir o Centro e aproveitar cultura de verdade. Ou ir pro subúrbio ver um pagode legal, passar o dia num barracão de escola de samba. Mas tem que conhecer alguém da cidade, que é pra ficar ligado.
NOTA:

VI) TRANSPORTE COLETIVO
Relaxa, vai demorar. E você provavelmente vai precisar pegar uns dois ou três.
NOTA:

VII) FUTEBOL
A única coisa que efetivamente funciona na cidade. Temos Fluminense, Botafogo, Vasco e Flamengo e outros times cult (ou seja, pobres e simpático), como Bangu, América e Olaria. Como o Maracanã está em obras, nos resta o São Januário do Vasco (longe e cercado de favela) e o recém-inaugurado Engenhão do Botafogo (mais longe ainda e cercado por outras favelas). Estranhamente, Fluminense e Flamengo não têm estádios próprios mas o Olaria tem.
NOTA:

VIII) SOTAQUE

Carioca mesmo fala meio arrastado, meio boca mole, chiando o S e botando vogal onde não existe. Só os paulistas se incomodam, e carioca mesmo também odeia ouvir paulista. Apesar de ser infestada por gente de fora, ainda se considera nordestino engraçado e indecifrável e o sotaque do sul sexy pra caralho.
NOTA:

IX) JOVENS
Tudo retardado.
NOTA:

X) CONSIDERAÇÕES FINAIS
É uma cidade muito doida, quase esquisofrênica, mas eu gosto dela mesmo assim. Por ter muita coisa junta no mesmo lugar, tem que procurar direito o que se quer. Dá pra ir do céu ao inferno (e vice-versa) num minuto e por isso tem que ficar ligado. Mas sem neura. Esqueça tudo que você já viu nas novelas e nos noticiários e seja feliz.
NOTA FINAL:

3 comentários:

  1. Até que enfim o blog foi alimentado! E com um post muito bacana, diga-se de passagem. E sim, sei que tou devendo uma visita! Rs.

    Mandou bem [como sempre], Pedrão!
    Abração.

    ResponderExcluir
  2. Fernanda Reimberg Lima4 de dezembro de 2011 02:33

    Considerações de quem passou nem 24 horas nessa cidade:
    1)meados de setembro tava frio à beça. Tipo, pegadinha com paulistana;
    2)não era o caso na ocasião;
    3)não reparei...;
    4)sim, comi um PF muito do bom e barato na Lapa - provando que não sou nada fresca ao contrário do que o autor teria suposto a meu respeito...hehe E tomei Bhrama na ausência de Serramalte;
    5)malemá tive tempo pra ver o Cristo de longe, sapeei a vista pelo mar passando de carro na maior pressa; mas, passei por dentro do sambódramo em um bus coletivo e achei demais!;
    6)Sim, demorou e precisei pegar uns 3 (fora que só tinha o bilhete único de São Paulo e precisei pagar por todas as viagens... fora que os preços variam, achei bem doido :D Não testei o metrô...
    7)Não dou a mínima... nem no RJ, nem em SP! E sim, tenho muitos outros assuntos pralém desse.
    8)Também detestamos ouvir o sotaque de vocês. É uma questão de reciprocidade. Mas, quando gostamos das pessoas, deixamo-nos levar por outras coisas, mas a tiração de sarro nunca pára! É o tempero de qualquer relação RJ x SP...
    9)Eu conheço uma pequena parcela de jovens de um lugar X. E sim, compartilho do adjetivo utilizado pelo autor do blog;
    10)Saudades e até a próxima!!! :D

    ResponderExcluir
  3. Fernanda Reimberg Lima5 de dezembro de 2011 11:06

    Correção: o PF firmeza foi em Laranjeiras... rs

    ResponderExcluir